Um show de cidadania e conscientização ambiental marcará a festa de encerramento da 6ª edição da Festa Literária de Pirenópolis (FLIPIRI), a partir das 20h30, na tenda principal do evento – na Praça Flipiri -, com a apresentação do Grupo Patubatê, coletivo que une em suas apresentações música, teatro, cultura, conscientização social, meio-ambiente e arte.

Há 15 anos na estrada, a trupe formada pelos músicos Fred Magalhães, Fernando Mazoni, Dj Leandrônik, Gustavo Lavoura, Pablo Maia e Felipe Fiúza transforma sucata em música sustentável. O nome Patubatê foi uma homenagem cheia de humor inspirada na música homônima do grupo Baiano e os Novos Caetanos, paródia que os humoristas Chico Anysio e Arnaud Rodrigues fizeram nos anos 70 aos novos Baianos de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia e Gal Costa. A entrada é franca.

“Estamos muito felizes de participar da Flipiri porque tem tudo a ver com o trabalho educativo que fazemos em prol da natureza”, comenta Fred Magalhães. “Estamos sempre percorrendo eventos do gênero em todo o país e estar na FLIPIRI era uma vontade antiga”, destaca.

“Essa é uma característica do nosso grupo, não é só ir lá e fazer o show não. A gente se envolve com a comunidade local, os artistas da cidade, formando um grande coletivo”, observa Fred Magalhães. “Essa turma vai aprender a tocar com gente no palco”, avisa o artista.

No palco, instrumentos convencionais se misturam com aqueles construídos a partir de materiais recicláveis como latas, baldes, tonéis, panelas e até peça de automóveis. O som tirado dessas engenhocas é mágico e singular. Na brincadeira que agrega ainda elementos do circo e teatro, ritmos autênticos brasileiros como maracatu, samba, afro, frevo baião, ciranda, entre outros, se misturam com influência dos trabalhos dos norte-americanos Stomp e Blue Man Group.

Antes, integrantes do Patubatê irão promover uma oficina de música e reflexão sobre o tema da sustentabilidade com os interessados. No encontro, que acontecerá no Teatro da cidade, das 14h às 17h, também no dia 03 de maio, além de ter contato com a temática ecológica de maneira lúdica e educativa, os 50 primeiros participantes irão aprender confeccionar instrumentos que serão usados no show que o Grupo Patubatê fará à noite.

Há sete anos o grupo desenvolve um trabalho voltado para o social, atendendo à comunidades carentes, escolas do governo e outros. Em 2012, a trupe iniciou um novo projeto, o PATUCATÁ (CATADORES DE ARTE), destinado exclusivamente aos catadores de materiais recicláveis, em Pirenópolis (Go) e cidades satélites de Brasília como Santa Maria (DF), Taguatinga (DF) e Ceilândia (DF).